terça-feira, janeiro 17, 2006

Orgasmo ou ejaculação precoce?…

Tendo antecipadamente pedido desculpa pelo vernáculo, aos mais sensíveis, o meu amigo PM enviou-me este excerto da apreciação feita por um conhecido comentador político, cujo nome não referiu, sobre a ampanha eleitoral:

"Assim, esta campanha eleitoral assumiu um cariz particularmente erótico: são cinco contra um a apertá-lo, esfregá-lo, espremê-lo e sacudi-lo com afinco, e ele a ficar cada vez mais firme, mais hirto, mais teso.
Com esta inusitada estratégia da punheta, a mãozinha da esquerda parece empenhada em proporcionar ao Professor, candidato da dita direita, o maior orgasmo eleitoral da nossa jovem Democracia".

Caro PM, o vernáculo, a mim, nunca me susceptibiliza!
Agora, descontando o carácter provocatório da "piada" — a ideologia está presente em tudo, de forma expressa ou subliminar — o que me preocupa é que os tugas, tão devotos que são da Senhora de Fátima, se aprestem agora a trocá-la por um pretenso "santo milagreiro" em Belém!
Apesar de tudo, e fazendo fé na sondagem diária da Marktest, que ontem já só (ou ainda, dependendo do ponto de vista) lhe atribuía 54,6% de intenções de voto (quando há uma semana começou com mais de 60%!), ainda acredito que o candidato da Direita, em vez do "maior orgasmo eleitoral da nossa jovem — e, por vezes, ingénua, acrescento eu — Democracia", venha a ter uma simples ejaculação precoce e desista de vez da obsessão de querer ser um presidente-treinador!
É que, se quiséssemos um treinador na presidência, o eleito só poderia ser José Mourinho!
Enfim, já que a Senhora de Fátima nos livrou do comunismo, não se esqueça agora de nos livrar da ressurreição do cavaquismo! Pôrra, dez anos de desastre já foram demais!
PN-AM.

Sem comentários:

Publicar um comentário