terça-feira, fevereiro 28, 2006

Souselas: quanto mais me bates…

Ao que parece, Portugal precisa de dois aterros para resíduos industriais perigosos, uma vez que exporta cerca de 50 por cento da sua produção anual. Apoiado no relatório duma Comissão Científica supostamente Independente, o Governo está, por isso, decidido a avançar com a co-incineração, afirmando que este é o melhor método para a queima de resíduos industriais perigosos e garantindo que qualquer cimenteira do país está em condições de o receber.
Outão, em Setúbal, e Souselas, em Coimbra, são, no entanto, os alvos preferenciais, uma vez que, alegadamente, já têm estudos realizados. Estudos que, parece não terem tido em conta o facto de Outão se situar na área de paisagem protegida da Serra da Arrábida e, de acordo com um recente estudo da Administração Regional de Saúde do Centro, também divulgado aqui, Souselas registar a maior incidência de casos de bronquite crónica, doenças tumorais, endócrinas, cardíacas e diabetes, da região centro.
Durante o Governo de António Guterres, com José Sócrates ministro do Ambiente, a co-incineração em Souselas esteve por um fio. Seis anos volvidos, em 2005, os souselenses esqueceram a ameaça e deram uma expressiva vitória ao PS, com 42% dos votos. Agora Sócrates prepara-se para lhes agradecer tamanha fidelidade.
Até parece que, com tanta malfeitoria, o povo habitua-se!

Carnaval e favelas

Todo o morro entendeu
quando Zelão chorou
ninguém riu, ninguém brincou
e era Carnaval

No fogo de um barracão
só se cozinha ilusão
restos que a feira deixou
e ainda é pouco só.

Mas assim mesmo Zelão
dizia sempre a sorrir
um pobre ajuda outro pobre
até melhorar

Choveu, choveu,
e a chuva botou sem barraco
no chão
nem foi possível
salvar violão
que acompanhou morro abaixo
a canção
das coisas todas
que a chuva levou
pedaços tristes do seu coração

de Sérgio Ricardo
in Sertão & Favelas, de Zélia Barbosa

domingo, fevereiro 26, 2006

Mulheres ganham cada vez menos que os homens!

A diferença salarial entre homens e mulheres tem-se acentuado em Portugal, nos últimos anos, contrariando a tendência da maioria dos países da União Europeia.
Na realidade, enquanto que em 1999, as mulheres ganhavam em média cerca de 5% menos do que os homens, no final de 2004 a diferença aproximou-se dos 10%.
Afinal, de que serve o Artigo 59.º da Constituição da República Portuguesa afirmar que "todos os trabalhadores, sem distinção de [...] sexo, [...] têm direito [...] à retribuição do trabalho, segundo [...] o princípio de que para trabalho igual salário igual"?...

Quem disse?

"Quando os ricos fazem a guerra, são sempre os pobres que morrem."

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Mais cedo ou mais tarde…

Mais cedo ou mais tarde, a boca foge para a verdade!
Respondendo ao desabafo do ex-candidato presidencial Manuel Alegre, que em recente entrevista confessou sentir-se tratado como inimigo, por algumas pessoas, dentro do PS, o secretário-geral socialista, José Sócrates, afirmou que “a seguir às eleições presidenciais, o PS comportou-se com superioridade e elevação".

Talvez seja verdade! O problema foi antes e durante as eleições!…

Quem a cama faz nela se deita!

"Não há derrota eleitoral (...) que belisque a popularidade de José Sócrates (…), diz o DN, como se a eleição de Cavaco Silva tivesse sido uma derrota para o Primeiro-Ministro.
Ora, acontece que Sócrates, secretamente, sempre almejou ter Cavaco em Belém porque sabia que, por um lado, ele não poderia recusar-lhe a sua prometida cooperação estratégica, e por outro, graças ao seu efeito-eucalipto, contribuiria para secar cada vez mais a oposição da Direita, em particular do PSD, o que nenhum dos candidatos da Esquerda, mesmo os da área do PS, lhe poderia garantir completamente. Para isso avançou com a candidatura de Soares — sabendo de antemão que ele nunca seria eleito — e, de uma assentada, estendeu a passadeira presidencial a Cavaco, livrou-se de vez do patriarca do seu partido e deixou Alegre à deriva sem saber o que fazer com o segundo lugar que obteve.
Jogada de génio! A populaça, pelos vistos, aprecia e brinda José Sócrates, o Governo e o PS com uma significativa recuperação de popularidade nas sondagens.

Só não se entende como é que a rapaziada, tendo eleito um salvador da pátria e estando tão contente com o Governo, continua tão pessimista em relação ao futuro?!… Não dá para entender!… (Ou talvez dê!… Fizeram a cama, nela se hão-de deitar!).

Amadeo de Souza Cardoso à borla!

Para os tesos que não dispõem da módica quantia de 190 000 euros para dar por um Amadeo de Souza Cardoso, aqui ficam três, completamente à borla.


Saut du Lapin (1911)
óleo sobre tela, The Art Institut of Chicago, Chicago, E.U.A.


Procissão Corpus Christi (1913)
óleo sobre madeira, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, Portugal


Pintura (Brut 300 TSF) (1917)
óleo sobre tela, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, Portugal

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

José Afonso vive!

Faz hoje precisamente dezanove anos que faleceu José Afonso, mas a sua música, as suas palavras, o seu exemplo de cidadão empenhado na luta por uma sociedade mais justa e solidária, não se apagarão da nossa memória.


"Curioso é que nós passamos 40 ou 50 anos de uma vida a fazer determinadas coisas e um dia mais ou menos de repente, sem que renunciemos a nada do que fizemos, apercebemo-nos de que tudo deveria ter sido diferente.
É apenas uma vaga sensação que se instala, sem que saibamos defini-la muito bem.
No fundo sou muito mais contraditório e supersticioso do que quis admitir ao longo dos anos."

"Eu sempre disse que a música é comprometida quando o músico, como cidadão é um homem comprometido. Não é o produto saído desse cantor que define o compromisso mas o conjunto de circunstâncias que o envolve com o momento histórico e político que se vive e as pessoas com quem ele priva e com quem ele canta.

"Não me arrependo de nada do que fiz. Mais: eu sou aquilo que fiz. Embora com reservas acreditava o suficiente no que estava a fazer, e isso é o que fica. Quando as pessoas param há como que um pacto implícito com o inimigo, tanto no campo político como no campo estético e cultural. E, por vezes, o inimigo somos nós próprios, a nossa própria consciência e os alibis de que nos servimos para justificar a modorra e o abandono dos campos de luta."

"Admito que a revolução seja uma utopia, mas no meu dia a dia procuro comportar-me como se ela fosse tangível. Continuo a pensar que devemos lutar onde exista opressão, seja a que nível for."

José Afonso

Os mais pessimistas




Na União Europeia, apenas os húngaros são mais pessimistas do que nós, relativamente ao presente, mas quanto ao futuro, os portugueses são mesmo
os mais pessimistas de todos!

Não seria possível rebobinar o filme e começar de novo?

O crime compensa?

O Ministério Público bem pedia o agravamento da pena atribuída pelo Tribunal de Marco de Canaveses ao ex-Presidente da Câmara local, o famigerado trauliteiro Avelino Ferreira Torres, mas o Tribunal da Relação do Porto, considerando que o autarca, pelos vistos um modelo de honestidade e transparência, seria incapaz do crime de peculato, entendeu que Avelino apenas cometeu abuso de poder e agraciou-o com uma redução da pena.
Por este andar, talvez seja melhor a coisa ficar por aqui porque, se sobe ao Supremo, Ferreira Torres ainda é absolvido e, quem sabe, poderá mesmo vir a receber uma comenda no 10 de Junho, pelos bons serviços prestados a Amarante.

quarta-feira, fevereiro 22, 2006

Respeito e diálogo, precisam-se! Urgentemente!…

Não está em causa a liberdade de expressão mas tão só a sua utilização leviana, irresponsável e gratuita, com o objectivo de fazer da injúria e do ultraje um negócio editorial.

Não está em causa o direito de manifestação e de protesto mas a forma arruaceira, selvagem e desordeira como ele é exercido, às ordens dos que alimentam o fanatismo religioso para deter o Poder.

Não estão, não podem estar, não devem estar em causa os direitos, liberdades e garantias de quaisquer cidadãos! Apenas o seu exercício, que deve ter sempre em conta que se trata de bens que a todos pertencem!

Por isso tem razão quem apela ao respeito! E quem promove o diálogo!…

Telelixo


Nove em cada dez estrelas de cinema usam Lux!

***

Nove em cada dez programas de TV são… lixo!

terça-feira, fevereiro 21, 2006

O emprego volátil

Os fiéis do neo-liberalismo e da sacrossanta liberdade de mercado afinal não têm razões para se andarem sempre a queixar da alegada rigidez da lei laboral portuguesa.
Parece que a criatividade dos empresários nacionais, bem conhecida na arte da fraude e evasão fiscais e do branqueamento de capitais, consegue, com igual engenho e mestria, flexibilizar o mercado de trabalho, recorrendo sobretudo a contratos a prazo, contratos de prestação de serviços ou recibos verdes, para recrutar novos trabalhadores.

Com efeito, em 2004 e 2005, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, só 29 por cento dos trabalhadores lograram obter um contrato efectivo, enquanto os restantes 71 por cento não conseguiram melhor que um contrato temporário ou de prestação de serviços, com a agravante do vínculo laboral destes trabalhadores ser de tal modo precário que cerca de 40 por cento acabam por ficar desempregados no final dos contratos, enquanto apenas 10 por cento conseguem passar para os quadros. SIC Online

Barbaridades e brutalidades

Sou frontalmente contra o fundamentalismo islâmico, o terrorismo árabe, a jihad islâmica.
Mas, embora seja ocidental, não posso deixar de condenar, com a mesma frontalidade, o extremismo americano (leia-se, da Administração Bush), o seu terrorismo de destruição em massa, a cruzada contra os infiéis em que querem (e pelos vistos estão a conseguir) envolver a Europa.

Choco-me, indigno-me, revolto-me, com as barbaridades que eles cometem, mas perante as brutalidades ainda maiores que nós praticamos, não fico apenas chocado, indignado, revoltado. Fico sobretudo envergonhado.

Afinal onde está a nossa auto-proclamada superioridade cultural e civilizacional?

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

domingo, fevereiro 19, 2006

A "lei da selva"

A chamada "lei da selva" aplica-se apenas ao que é natural, selvagem, e portanto, irracional.
Ainda que às vezes, muitos homens se comportem de forma estúpida e perigosamente irracional, como de resto está a acontecer no actual conflito, que os extremistas ocidentais e islâmicos pretendem civilizacional, o Homem não é um animal irracional e, portanto, a "lei da selva" não se lhe aplica.


O Homem, animal inteligente e racional, tem princípios, acredita em valores, constrói uma Moral, qualquer que ela seja. E a Moral está subjacente a toda a actividade humana, quer se trate da Economia, da Política ou da Arte. Ou da Religião. E é, tem de ser, fonte de inspiração da Lei, não a da selva, mas a que é feita para assegurar o bem comum e a dignidade humana.
Quando tal não acontece, estamos perante um regime imoral, o regresso à selva!
Infelizmente, é o que acontece não só nas ditaduras, mas em muitas plutocracias neo-liberais onde o homem não é irmão mas lobo do homem!

sábado, fevereiro 18, 2006

António Aleixo nasceu há 107 anos!


És feliz, vives na alta

e eu de rastos como a cobra.
Porquê? Porque tens de sobra
o pão que a tantos faz falta.

Co'o mundo pouco te importas
porque julgas ver direito.
Como há-de ver coisas tortas
quem só vê o seu proveito?

Sei que pareço um ladrão...
mas há muitos que eu conheço
que, sem parecerem o que são,
são aquilo que eu pareço.

Vós que lá do vosso império
prometeis um mundo novo,
calai-vos, que pode o povo
qu'rer um mundo novo a sério.

Pela justiça social

Quem disse?

"A opressão do homem pelo homem iniciou-se com a opressão da mulher pelo homem."

quinta-feira, fevereiro 16, 2006

terça-feira, fevereiro 14, 2006

Entendimento e compreensão mútuos: a estrada da paz!

“Reservemos para nós a tarefa de compreender e unir; busquemos em cada homem e em cada povo e em cada crença não o que nela existe de adverso, para que se levantem as barreiras, mas o que existe de comum e de abordável, para que se lancem as estradas da paz; empreguemos toda a nossa energia em estabelecer um mútuo entendimento; ponhamos de lado todo o instinto de particularismo e de luta, alarguemos a todos a nossa simpatia. Reflictamos em que são diferentes os caminhos que toma cada um para seguir em busca da verdade, em que muitas vezes só um antagonismo de nomes esconde um acordo real. [...] Não os queremos trazer ao nosso grémio nem ingressar no deles; apenas desejamos que da melhor compreensão entre uns e outros, do conhecimento das essências, se erga a morada de um Pai que não distingue entre os eleitos e a todos por igual protege e incita; cada um ficará em sua lei; só pretendemos que não tome os de leis diferentes por implacáveis inimigos ou por almas perversas e perdidas; são homens como nós e vão-se dirigindo ao mesmo fim; desde já os vejamos como futuros companheiros.”

Agostinho da Silva, Considerações (1944)

A paz sem vencedor e sem vencidos

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos
A paz sem vencedor e sem vencidos
Que o tempo que nos deste seja um novo
Recomeço de esperança e de justiça.
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Erguei o nosso ser à transparência
Para podermos ler melhor a vida
Para entendermos vosso mandamento
Para que venha a nós o vosso reino
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Fazei Senhor que a paz seja de todos
Dai-nos a paz que nasce da verdade
Dai-nos a paz que nasce da justiça
Dai-nos a paz chamada liberdade
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos


Sophia de Mello Breyner Andresen, Dual (1972)

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Paz precisa-se!

Peter Marlow / Magnum Photos



Peter Marlow / Magnum Photos

Cenas da "Democratização" do Iraque

O vídeo seguinte, publicado pelo jornal inglês News of the World, mostra como os "mestres" britânicos não ficam atrás dos seus comparsas americanos a ensinar a "democracia" aos jovens iraquianos.

(Atenção: absolutamente importante ligar o som)
clicar na imagem

Sem comentários!

Quem quiser guerra, faça-a! Nós somos pelo diálogo e pela paz!…

É. Lá como cá, jornalistas (e cartoonistas) são uma espécie em vias de extinção. Infelizmente, o que há mais são comissários políticos, agentes de propaganda ou simples "vozes do dono". Por convicção ou por medo. Medo de corrererem risco de morte ou, simplesmente, de irem para o desemprego.
Afinal não é só nos regimes teocráticos que as massas são arrebanhadas, em nome da fé, e instigadas a apoiar ou a praticar o terrorismo e a violência.
Também por cá, no Ocidente — era essencialmente na América mas a velha e sensata Europa não só se deixou envolver como é agora o alvo das atenções... — numa democracia cada vez mais transformada em plutocracia insaciável com a legitimação do nosso voto, como explica José Saramago, o rebanho é sistematicamente induzido a aceitar a inevitabilidade da "guerra santa" e do conflito civilizacional. Que há muito começou com o terrorismo de Estado de genocídio em massa.
Por isso, a nós, ainda para mais com vestígios de sangue árabe nas veias, só nos resta combater os inimigos da paz e da tolerância e apelar ao diálogo cultural e à convivência das civilizações! Se ainda formos a tempo...

Assim vai o mundo

Kiko da Silva (Espanha), 2000

Cartoons, Liberdades e Terrorismos

A problemática dos cartoons é tudo menos uma falsa questão, na medida em que o busílis reside não tanto na sua interpretação — que dependerá sempre da matriz cultural do(s) intérprete(s) — mas sobretudo na sua elaboração, que embora decorra de uma liberdade de expressão não negociável e inalienável, não pode nem deve, de forma cinicamente "ingénua" e "inocente", insultar e vilipendiar os sentimentos, as convicções, a dignidade, daqueles que apenas cometem o crime de terem uma cultura e uma civilização diferentes da nossa, sendo todos metidos, injustamente, no mesmo "saco" dos terroristas e inimigos da liberdade!
Terroristas há, infelizmente, muitos e terrorismo não há só um (o deles)! Proceder desta forma é também, quanto a nós, uma forma de "terrorismo" ideológico de consequências imprevisíveis!
E já agora, se dizem que na democracia, tal como nós a entendemos, há órgãos próprios para dirimir os excessos de liberdade de expressão que têm acontecido no "ocidente", então deve aplicar-se o mesmo princípio aos excessos de liberdade de manifestação que têm ocorrido por parte do "mundo islâmico"! Ou será que nós, democratas, temos dois pesos e duas medidas?

sábado, fevereiro 11, 2006

Que liberdade sem tolerância?

Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão. (Artigo 19. ° da Declaração Universal dos Direitos do Homem)

A educação deve (...) favorecer a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e todos os grupos raciais ou religiosos, bem como o desencolvimento das actividades das Nações Unidas para a manutenção da paz. (ponto 2 do Artigo 26. ° da Declaração Universal dos Direitos do Homem)

Naturalmente, é muito difícil a quem, de um lado ou de outro, se julga civilizacionalmente superior e detentor da verdade, perceber que não está só, neste mundo. Acha-se, por isso, no direito de usar a liberdade — seja a liberdade de expressão, a liberdade de manifestação ou qualquer outras das múltiplas formas de liberdade, incluindo a liberdade económica — para insultar, agredir, espezinhar, escravizar, matar, ignorando o princípio elementar de que a liberdade só faz sentido se cada "parte" respeitar a liberdade da(s) outra(s) parte(s). Para que a liberdade, utilizada diferentemente por cada "parte", seja um bem de TODOS.
Infelizmente não são poucos os que assim pensam! Os "rebanhos" de fundamentalistas adeptos de uma "solução final", intoxicados e instigados, de um lado, por uma plutocracia disfarçada, e do outro, por uma teocracia "iluminada", são cada vez mais numerosos!

(...) ambos os fundamentalismos se equivalem e prometem locomotivar, pelo sua efervescência vanguardeira, as massas facilmente adesivas .
Olhando friamente tamanhos prodígios civilizacionais encandeia-nos mesmo um efeito de espelho. Comparando a selvajaria que agora somos com as civilizações que já fomos, tal qual a selvajaria que eles agora são com a civilização que já foram, dir-se-ia que a regressão corre geminada e a bom ritmo.

No meio de tanta incompreensão, tanta intolerância, tanto radicalismo, com tanta gasolina atirada para o incêndio, torna-se cada vez mais difícil, talvez até perigoso, apelar à moderação, ao equilíbrio, à convivência, sem corrermos o risco de sermos "empurrados" para a "outra parte", que o mesmo será dizer, sermos tratados como inimigos! Mas é a única luta que vale a pena travar!…

terça-feira, fevereiro 07, 2006

A continuarmos por este caminho, isto vai acabar mal!

Já em 2000, de acordo com o Human Development Report (HDR), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (UNDP), o rendimento se apresentava distribuído de forma profundamente desigual pelos mais de 6 biliões de indivíduos que constituíam a população mundial.

© Patrick Zachmann / Magnum Photos

Na realidade, enquanto os 20% mais ricos detinham 74% do rendimento, os 20% mais pobres tinham de contentar-se com apenas 2%. Em consequência, 19% da população mundial, ou seja, mais de 1 bilião de seres humanos, dispunham apenas de 1 dólar por dia!


Apesar disso, são cada vez mais levados a cabo empreendimentos faraónicos como este, para satisfazer os caprichos insaciáveis dos ricos, enquanto boa parte da humanidade, vítima de uma ordem económica e social cada vez mais injusta e imoral, se debate com a fome, a miséria, a doença, procurando apenas, desesperadamente, sobreviver.

A continuarmos por este caminho, isto vai acabar mal! Oxalá esteja enganado!…

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

"Não basta tocar o disco uma só vez"…


… como diz Brecht, embora não seja nada que nós já não soubéssemos!

Liquidação Total!

E eu a pensar que já não havia mais nada para privatizar?!…
Vá lá, despachem-se com isso! E já agora não se esqueçam da água, da segurança social, da saúde e do ensino! E depois apaguem a luz e ponham-se a andar, porque se é para isto que nos massacram com impostos, não fazem cá falta nenhuma! Ficamos em auto-gestão, que sai-nos mais barato!…

Cuba ajuda, Bush recusa! Claro…

Fidel Castro disponibilizou os serviços médicos e sanitários de Cuba, de reconhecido prestígio mundial, para operar, gratuitamente, à vista, 150.000 cidadãos americanos pobres, durante a iniciativa "Operação Milagre". Até este momento, Cuba já prestou cuidados médicos gratuitos a mais de 175.000 pacientes de 22 países da América Latina, graças aquela operação. O Presidente cubano explicou que está disposto a enviar um avião à Florida para recolher os pacientes e a albergá-los sem qualquer custo em Cuba.




Todavia, Washington não respondeu. Obviamente. A intolerância e cegueira política de Bush leva-o a preferir que os seus cidadãos — ainda para mais, uns pobretanas — possam ficar cegos em vez de aceitar a solidariedade de um "perigoso ditador" comunista. Além do mais, como é que havia de justificar a continuação do miserável bloqueio que os Estados Unidos exercem sobre Cuba há já 44 anos?

A Teocracia de Felgueiras

A Senhora de Fátima irá receber a sua homónima autarca, que se deslocará à Cova da Iria para agradecer a vitória nas eleições para a Câmara de Felgueiras.
Depois da fuga à Justiça, tendo-se posto a bom recato no Brasil, e do seu regresso premeditadamente triunfal, obviamente a tempo de se recandidatar, Fátima Felgueiras, com a publicidade da comunicação social, a complacência do tribunal e a preciosa ajuda da Virgem Maria que iluminou o voto dos felgueirenses, foi eleita por retumbante maioria absoluta.
Saramago já nos alertara para o facto da democracia estar cada vez mais transformada numa plutocracia, tal o controlo que os grupos económico-financeiros exercem sobre o Estado. Agora, ficamos a saber que em Felgueiras a democracia deu lugar à teocracia pois, a Presidente da Câmara foi ungida e abençoada pela Mãe de Deus!

sábado, fevereiro 04, 2006

Depois de Alegre, que Partido Socialista?

"O PS, que já não sabia o que fazer com o socialismo, apanha agora com a maçada do Manuel Alegre. A reunião da comissão política resultou no emocionante facto de que ninguém se sente bem consigo próprio. As interrogações circulavam, mudas, persistentes e atormentadas: Alegre é mais ou menos socialista do que Soares?; expulsamos o réprobo ou ignoramo-lo? Entreolhando-se, confinaram os pungentes pensamentos ao dilema trágico, que separa «socialistas modernos» de «socialistas antigos».

«Socialistas modernos» são aqueles cujo vocabulário possui contornos preciosos. Não dizem: miséria, dizem: fragilidade social; não dizem: despedimentos colectivos, dizem: rescisões amigáveis de contratos; apagaram a palavra: trabalhadores, preferem: classe média. «Socialistas antigos» são os rudes representantes de uma agonia interminável, anacrónicos defensores da igualdade possível, aferrados sequazes da abertura ao universo das liberdades. Mas será que alguma vez houve socialistas deste molde?"

Baptista Bastos (Jornal de Negócios On line)


sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Quem é quem?!…

O secretário da Defesa norte-americano, o criminoso de guerra Donald Rumsfeld, mentor da invasão ilegal e brutal do Iraque que deixou atrás de si um rasto de destruição e morte, tem o desplante de comparar Hugo Chavez a Adolf Hitler, apenas porque, enquanto o Governo americano tem submetido Cuba a um severo e criminoso embargo comercial desde 1962, o Presidente venezuelano solidarizou-se com o povo cubano fornecendo-lhe dois terços das suas necessidades petrolíferas a preços preferenciais.
Mas a solidariedade de Chavez vai mais longe. Enquanto George W. Bush, vai pedir mais 70 mil milhões de dólares ao Congresso para continuar a guerra no Iraque e no Afeganistão, o Presidente venezuelano fornece petróleo para aquecimento durante este inverno, a milhares de famílias pobres do Estado de Massachusetts, a quase metade do preço de mercado!
Assim se vê quem é quem!

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

À atenção do senhor Primeiro-Ministro!

O Papa Bento XVI, na Encíclica Deus caritas est, escreve:

"A justa ordem da sociedade e do Estado é dever central da política. Um Estado, que não se regesse segundo a justiça, reduzir-se-ia a uma grande banda de ladrões (...)"
"A Igreja não pode nem deve tomar nas suas próprias mãos a batalha política para realizar a sociedade mais justa possível. Não pode nem deve colocar-se no lugar do Estado. Mas também não pode nem deve ficar à margem na luta pela justiça."

A julgar pelos mais de 500 mil desempregados, os cerca de 2 milhões de pobres e a diferença de rendimento entre os mais ricos e os mais pobres (que, de acordo com o Eurostat, é a maior da UE), fica a ideia de que os responsáveis políticos portugueses não levam a sério as palavras de Sua Santidade…

quarta-feira, fevereiro 01, 2006

Só podem estar a brincar!…

Milhares de chilenos "desapareceram" em consequência do golpe de Estado que derrubou o governo legítimo de Salvador Allende e, ao fim de 33 anos, o carrasco Augusto Pinochet vai ser julgado por…

… sequestro de três opositores???

Capitalismo, Futebol e Prostituição

"De 9 de Junho a 9 de Julho de 2006, 12 cidades alemãs acolhem o Campeonato do Mundo de Futebol. São esperados cerca de 36 milhões de espectadores, na sua maioria homens e estima-se em 40.000 o número de mulheres «importadas» da Europa Central e da Europa de Leste para «servir sexualmente» os milhões de espectadores do sexo masculino."
A Coligação Contra o Tráfico de Mulheres para a Europa (CATW) lança uma petição internacional contra a organização da prostituição por ocasião do evento.

Não tenho reservas morais relativamente à prostituição sexual que, de resto, não é pior que qualquer outra forma de prostituição. De algum modo, na vida, todos acabamos, de certa forma, por nos "prostituir" para conseguirmos (sobre)viver.
Voltando à prostituição sexual — a mais antiga profissão do mundo — a existir, deveria ser uma actividade voluntária, liberal e exercida dentro das mais escrupulosas condições de higiene e segurança.
Acontece que, umas vezes, como no caso do nosso preconceituoso país, a prostituição é "economia subterrânea", prática ilegal, actividade de risco para quem presta o serviço e para quem o procura. Outras vezes, como no caso presente, a sua legalização e regulamentação, que não é um mal em si, uma vez que contribui para diminuir os riscos que estão associados à actividade, acaba por trazer consigo um efeito perverso que é a "industrialização" e, consequentemente, o tráfico e a exploração dos/das profissionais da "indústria do sexo". Ou seja, o capitalismo e a sua tentação pelo lucro fácil, desmedido, e sem escrúpulos, "fode" tudo no que se mete. E a verdade é que se mete em tudo onde possa fazer dinheiro.
Obviamente que eu vou assinar a petição. Não por ser contra a prostituição (se há coisa que não sou é "puritano"!) mas sim por ser contra a a "indústria do sexo" e o tráfico de seres humanos que lhe está associado. E, mais do que tudo, contra o capitalismo ultra-liberal e a globalização selvagem que, em nome de um pseudo-desenvolvimento, estão a arrastar a humanidade para uma nova era de escravatura. Na prostituição sexual, como em qualquer outra actividade…