segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Quem quiser guerra, faça-a! Nós somos pelo diálogo e pela paz!…

É. Lá como cá, jornalistas (e cartoonistas) são uma espécie em vias de extinção. Infelizmente, o que há mais são comissários políticos, agentes de propaganda ou simples "vozes do dono". Por convicção ou por medo. Medo de corrererem risco de morte ou, simplesmente, de irem para o desemprego.
Afinal não é só nos regimes teocráticos que as massas são arrebanhadas, em nome da fé, e instigadas a apoiar ou a praticar o terrorismo e a violência.
Também por cá, no Ocidente — era essencialmente na América mas a velha e sensata Europa não só se deixou envolver como é agora o alvo das atenções... — numa democracia cada vez mais transformada em plutocracia insaciável com a legitimação do nosso voto, como explica José Saramago, o rebanho é sistematicamente induzido a aceitar a inevitabilidade da "guerra santa" e do conflito civilizacional. Que há muito começou com o terrorismo de Estado de genocídio em massa.
Por isso, a nós, ainda para mais com vestígios de sangue árabe nas veias, só nos resta combater os inimigos da paz e da tolerância e apelar ao diálogo cultural e à convivência das civilizações! Se ainda formos a tempo...

Sem comentários:

Publicar um comentário