quinta-feira, dezembro 17, 2009

A nova 'religião'

Quando, em nome de obscuros desígnios, o poder político e o poder económico manipulam ou condicionam a investigação científica e transformam a generalidade dos meios de comunicação em meros instrumentos da sua propaganda, ficam criadas as condições para que o que deveria ser 'apenas' uma esclarecida e serena defesa do meio ambiente e uma cuidada gestão e utilização dos recursos naturais se transforme numa atitude fundamentalista e persecutória dos que ousam duvidar da 'certeza' do  aquecimento global. As provas dão lugar a uma fé cega. A ciência cede o lugar a uma nova 'religião'.
Tal como as outras religiões, também muitos priores do ambientalismo querem converter os nativos. Os nativos de África, da América Latina e da Ásia. Os principais priores, tendo beneficiado toda a vida das toneladas de CO2 já emitidas, dizem agora aos nativos que não devem fazer o mesmo... os nativos parecem não estar pelos ajustes, porque têm a sua quota de desenvolvimento a cumprir. E, quando os nativos são chineses e poluem todos ao mesmo tempo, tudo se torna difícil... E, quando os nativos são brasileiros e nós, das nossas florestas destruídas na Europa, lhes pedimos que não destruam a deles, a coisa torna-se complicada. (Henrique Monteiro, Expresso)
Mas a hipocrisia 'climática' dos poderosos não tem limites e há já banqueiros e especuladores a esfregar as mãos de contentes a arquitectar novas negociatas com o carbono.
Enfim, à ganância capitalista todos os meios servem para alcançar os seus objectivos. Sempre assim foi.

Sem comentários:

Publicar um comentário