terça-feira, maio 24, 2011

O eucalipto e os fiscais

"A banca é um eucalipto que secará tudo à sua volta, impedindo que haja mais justiça e mais riqueza”. E, na verdade, se dos 78 mil milhões que estão prometidos, os bancos engolirem mais de metade (12 mil milhões, directamente, e 35 mil milhões, em garantias do Estado) e cerca de 30 mil milhões forem para pagamento de juros, é fácil de perceber que nada sobrará para a recuperação da economia e o combate ao desemprego.
E no entanto, será a maioria dos portugueses a pagar, com sangue, suor e lágrimas, a chamada ajuda externa, se votar na coligação de fiscais do FMI (PS-PSD-CDS). A menos que vote na Esquerda (BE-CDU) e, deste modo, possibilite a formação de um governo capaz de exigir uma rigorosa auditoria à dívida e a sua indispensável renegociação. Só assim conseguiremos levantar a cabeça e sair do atoleiro em que nos atascaram.

Sem comentários:

Publicar um comentário