sábado, fevereiro 23, 2008

Progresso ou barbárie?

Se há 500 anos, o humanista renascentista Erasmo de Roterdão (1466-1536) defendia que "a primeira fase do saber é amar os nossos professores" e hoje, como diria José Mário Branco, "vejo tanta raiva a andar à solta" contra a classe docente, é caso para fazer duas perguntas apenas, simples e óbvias:

Afinal, a nossa civilização caminha no sentido do progresso ou da barbárie?

Fazendo nossas as palavras de José Gil, "porquê tanto ódio, tanto desprezo, tanto ressentimento contra a figura do professor?"


Read this doc on Scribd: Ódio

Sem comentários:

Publicar um comentário