quinta-feira, novembro 19, 2009

Trabalhar para aquecer

A Autoridade para as Condições do Trabalho detectou salários em atraso e dívidas à Segurança Social de quase 10 milhões de euros em cerca de 19 mil empresas, até Novembro. Desde o início do ano, a ACT já fez 87 participações criminais contra empresas em situação económica difícil.
Deste valor global de 9,919 milhões de euros, 2,841 milhões correspondem a dívidas à Segurança Social, declarou o inspector-geral Paulo Morgado de Carvalho, à margem de um congresso sobre direitos do trabalho, em Lisboa.
Até 15 de Novembro o número de trabalhadores com salários em atraso detectados pelos inspectores chegou quase aos 16 mil, e destes 4.861 são trabalhadores ilegais que as empresas foram obrigadas a integrar nos quadros. notícia TSF

Por cá, a produtividade do trabalho não será das mais elevadas da Europa, mas sem receber um salário, já de si tão magro, quem é que pode ser produtivo?
E depois os trabalhadores e os sindicatos é que são os maus da fita!…
Não passamos de um país do Terceiro Mundo.

Sem comentários:

Publicar um comentário