quinta-feira, maio 14, 2009

Palavras sábias e justas (desta vez)

Um Estado e uma pátria independente para os palestinianos, o abate do muro de segurança construído por Israel, o fim do bloqueio a Gaza e a recusa do terrorismo — e certamente o Papa não estava apenas e principalmente a referir-se aos bombistas suicidas e aos rockets artesanais do Hamas, mas também aos massacres perpetrados pela máquina de guerra sionista —, tudo isto defendeu Bento XVI na visita que está a efectuar à Palestina, em contraste com o alheamento e a inoperância da maioria dos líderes políticos e organismos internacionais. E insistiu que só o diálogo pode levar à paz. Desta vez, as suas palavras são sábias e justas. O problema será passar das palavras aos actos. Mas, para isso, talvez não cheguem os seus veementes apelos…

Sem comentários:

Publicar um comentário