sábado, outubro 22, 2005

Cavaco trepa no coqueiro!… (*)

Bem me diziam
Bem me avisavam
Como era a lei
Na minha terra
Quem trepa
No coqueiro
É o rei

A gente ajuda
Havemos de ser mais
Eu bem sei
Mas há quem queira
Deitar abaixo
O que eu levantei




















Se tem má pinta
Dá-lhe um apito
E põe-no a andar
De espada à cinta
Já crê que é rei
Dàquém e Dàlém Mar

A bucha é dura
Mais dura é a razão
Que a sustem
Só nesta rusga
Não há lugar
Pr'ós filhos da mãe

(Venham mais cinco, Zeca Afonso)


"Dá-lhe um apito e põe-no a andar", porque, como diz Manuel Alegre, "em democracia não há coroações, há eleições"!


(*) Observem a fotografia com atenção porque é mesmo ele, o Pau de Boliqueime!

Sem comentários:

Publicar um comentário