quarta-feira, junho 06, 2012

Homens e homenzinhos

D. Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas, manifestou-se “profundamente chocado” com Passos Coelho, num discurso do Primeiro-ministro que faz lembrar “a União Nacional de má memória” e toma os portugueses como “um povo dócil e bem amestrado”, confessando ter ficado tentado a chamar o povo para a rua.


Destas importantes e desassombradas declarações ressaltam duas conclusões:

Apesar do histórico conservadorismo, alinhamento com o poder estabelecido e colaboração na perpetuação da ordem social, por parte da Igreja, sempre existiram e ainda existem na hierarquia eclesiástica homens capazes de denunciar frontal e publicamente a exploração, a injustiça e a desumanidade, o ataque à liberdade e à dignidade social. Desde João XXIII a Herder Câmara e Oscar Romero, de António Ferreira Gomes e Manuel Martins a Januário Torgal Ferreira!

Já Passos Coelho não passa de um homenzinho, um execrável neo-salazarista com (mais do que) o rabo escondido! No fundo, está "apenas" a pôr em prática os ensinamentos do seu mestre, que um dia afirmou que "somos um povo de brandos costumes" e que "aqui, para governar, um safanão a tempo é quanto basta".

Sem comentários:

Publicar um comentário