domingo, setembro 01, 2013

Passos Coelho e o "governo" PSD-CDS: culpados!


Em pouco mais de dois anos, Passos Coelho e o "governo" PSD-CDS (com a cumplicidade de Cavaco Silva, nunca será demais lembra-lo!) têm levado a cabo o maior programa de empobrecimento, destruição económica e ataque ao Estado Social de que há memória, nas últimas décadas: cortes brutais em salários, pensões e subsídios, subida colossal dos impostos, continuada recessão económica e consequente falência de empresas, queda do investimento, destruição de postos de trabalho e agravamento do desemprego e da emigração, privatização de empresas públicas estratégicas, desinvestimento em serviços públicos fundamentais, como a saúde e a educação, transformando-os em pasto para os grupos privados.


Não se trata de incompetência, como há quem nos queira fazer crer. É, isso sim, uma meticulosa e consciente política neo-liberal, que favorece os interesses privados ligados às PPP's, aos grandes grupos financeiros, aos credores internacionais, à custa dos trabalhadores, dos pequenos e médios empresários, dos pensionistas, da generalidade da população, portanto.
E tudo em nome da redução da dívida, da descida do défice, do regresso aos "benditos" mercados financeiros, dizem. Quando a verdade é que a dívida não pára de crescer, o défice teima em não descer e o regresso aos mercados (ou melhor, a saída da troika, com esta receita) não vai acontecer!
Já a tragédia de um segundo resgate é cada vez mais uma certeza. E Passos Coelho sabe-o melhor que ninguém. É por isso que tenta desesperadamente sacudir a água do capote e arranjar um bode expiatório. E o Tribunal Constitucional, a quem compete velar pela observância da Constituição, serve-lhe às mil maravilhas. Podemos ter a certeza, portanto, que Passos vai continuar a fazer leis inconstitucionais. E a acusar o Tribunal Constitucional de as chumbar. Ele precisa urgentemente de forjar um "culpado" para esconder os verdadeiros culpados da acção criminosa do seu "governo".

Sem comentários:

Publicar um comentário