sexta-feira, setembro 06, 2013

Obama, Prémio Nobel… da Guerra

Sejam quais forem os argumentos que se invoquem para uma intervenção militar na Síria, os Estados Unidos da América são seguramente um dos países que não têm qualquer legitimidade para a levar a cabo. Não apenas porque não têm autorização das Nações Unidas, mas também e sobretudo pelos crimes que cometeram desde a 2.ª Guerra Mundial até aos nossos dias (no Vietname, na América Latina, na África, no Irão, no Iraque, no Afeganistão,…).



Enquanto Obama quer a todo o custo — que será trágico, desde logo em vidas humanas! — apagar o incêndio com gasolina, Putin (apesar de também não ser flor que se cheire) coloca a Síria na agenda oficial da cimeira do G20. Por isso o Papa Francisco apela a Putin que sensibilize os países do G20 a favor da paz na Síria. Já deve ter percebido que do Prémio Nobel da "Paz" só pode esperar… mais guerra.

Sem comentários:

Publicar um comentário