quinta-feira, janeiro 12, 2012

Vale mais tarde do que nunca

Eduardo Galeano não tem dúvidas em relação à democraticidade do sistema em que vivemos: "a liberdade de mercado permite-nos aceitar os preços que nos são impostos", "a liberdade de eleição permite-nos escolher o molho com que seremos devorados". E José Saramago, já há uma dezena de anos, advertia-nos que "a democracia em que vivemos é uma democracia sequestrada, condicionada, amputada," e questionava "como é que podemos falar em democracia se aqueles que efectivamente governam o mundo não são eleitos democraticamente pelo povo?".
Agora, o psiquiatra Eurico de Figueiredo, ex-deputado do P"S", reconhece finalmente que "Portugal já não vive em democracia". Demorou a concluir aquilo que é já hoje uma dolorosa evidência, é verdade. Mas vale mais tarde do que nunca.


Sem comentários:

Publicar um comentário