segunda-feira, junho 14, 2010

A insustentável leveza das palavras

Nas Comemorações do 10 de Junho, Presidente da República e Primeiro-ministro revelaram leituras divergentes da realidade a que o país chegou. Assim, enquanto Cavaco Silva, no seu discurso, afirmou que 'chegámos a uma situação insustentável', José Sócrates, imediatamente a seguir, replicou aos jornalistas que 'não estamos numa situação insustentável'.
No entanto, a única certeza que, infelizmente, temos é que, em 25 anos de integração europeia, a situação social e económica do país agravou-se: temos mais pobres, mais desempregados, mais desigualdade social, mais défice e endividamento público, menos investimento e crescimento económico. Perante esta realidade objectiva que sobre nós se abate, Cavaco e Sócrates melhor fariam se nos poupassem às suas inúteis querelas semânticas. Desde logo porque ambos contribuíram, directa ou indirectamente, para a situação — sustentável ou insustentável, mas, seguramente, muito difícil — em que o país hoje se encontra.

Sem comentários:

Publicar um comentário