sexta-feira, fevereiro 04, 2011

Os impostos não são para todos

Os três maiores bancos privados que operam em Portugal tiveram, em 2010, um aumento de 8,1 por cento dos seus lucros face a 2009. Em contrapartida, no mesmo período, os seus impostos diminuíram escandalosamente: o BES pagou menos 60 por cento, o BCP menos 20 por cento e o BPI apresenta, em 2010, uma carga fiscal negativa. cf Esquerda. Net
Apesar de ter afirmado que o esforço de consolidação orçamental seria distribuído por todos, e que aqueles que mais têm mais seriam chamados a suportar esse sacrifício, na realidade, o governo faz o contrário, fustigando os portugueses com a política de austeridade mais violenta de sempre, ao mesmo tempo que faz vista grossa à evasão fiscal da Banca e lhe cobra menos impostos.
O sol, quando nasce é para todos. Por cá, os impostos, não.



Epígrafe para a arte de furtar

Sem comentários:

Publicar um comentário