quarta-feira, fevereiro 02, 2011

O desespero dos tiranos

Por cá, no já distante dia 25 de Abril de 1974, os pides, entrincheirados na António Maria Cardoso, disparavam a matar sobre os populares que exigiam a sua rendição e faziam as únicas quatro vítimas da Revolução dos Cravos.
Hoje, no Egipto, inapelavelmente condenado por um gigantesco protesto popular, Mubarak, em desespero de causa, não hesita em soltar o que resta da sua matilha para semear a confusão entre a multidão de manifestantes que exige a sua demissão e, como se mais de uma centena de mortos e milhares de feridos não fossem já sangue demais, provocar mesmo um verdadeiro banho de sangue. cf Destak.pt
É a mesma velha história. O desespero dos tiranos mostra a sua verdadeira face de criminosos sem escrúpulos. Mas a história, a que o povo escreve, acaba sempre por julgá-los. Mais tarde ou mais cedo.

Sem comentários:

Publicar um comentário