sexta-feira, março 17, 2006

Novamente o Maio de 68?


Em França, 20 por cento do desemprego atinge a faixa etária compreendida entre os 18 e os 25 anos. Como se esta realidade não fosse já suficientemente preocupante e injusta, a nova lei laboral vem permitir o despedimento sem justa causa nem indemnização, durante os primeiros dois anos de contrato.
Por esta razão os
jovens franceses se manifestam e lutam. Contra a iniquidade de uma lei e a discriminação de um sistema, de que não aceitam ser vítimas.
Em Paris, na Margem Esquerda, hoje, tal como em Maio de 68.

7 comentários:

  1. É o chamado trabalho de "escravo-livre". Livre de pensar e pouco mais, porque quando não há opções que libedade existe?

    ResponderEliminar
  2. É triste pensar que os jovens do Maio de 68 são os avôs dos jovens que hoje se manifestam e que são eles que estão no poder.

    ResponderEliminar
  3. Do que li sobre essa lei, o espírito da mesma aponta na direcção de uma menor precaridade, no entanto...
    ...deixa a habitual "porta do cavalo" para o despedimento sem justificação ao fim de dois anos. Se este despedimento não ocorrer o jovem fica como efectivo na empresa.

    Conhecendo o espírito dos grandes empregadores transnacionais, "a porta do cavalo" vai tornar-se regra geral bem à imagem daquilo que foi feito com a lei dos contratos a termo certo.
    O espírito do legislador é normalmente desvirtuado com as excepções que se tornam regra geral.

    Caro Maio...
    Apareça que deixou saudades no Eco.

    ResponderEliminar
  4. Caro Maio, julgo que não tem nada a ver com o Maio de 68. Defendo-o aqui: http://rb02.blogspot.com/2006/03/frana-france.html

    ResponderEliminar
  5. Maio
    as ultimas de Paris estão sempre por aqui:
    http://www.bellaciao.org/fr

    ResponderEliminar
  6. best regards, nice info »

    ResponderEliminar