sábado, outubro 05, 2013

Eles são nossos inimigos

Podiam cortar nas rendas obscenas que pagam às PPP's para garantir os lucros aos seus accionistas. Podiam cortar nos swap's e deixar de meter pazadas de dinheiro que é nosso pelas goelas dos banqueiros abaixo.  Podiam taxar as transacções financeiras (0,1% não seria nada para os especuladores e representaria muitos milhões para o erário público). Podiam combater a evasão fiscal das grandes empresas que abrem filiais no estrangeiro apenas para não pagar impostos. E, mais que não fosse para darem o exemplo, podiam cortar nas "gorduras do Estado" (serviços de consultoria, assessorias e 'jobs' para os 'boys', frota automóvel de luxo, reformas douradas,…).


Tudo isso podiam fazer, se lá estivessem para governar o país e melhorar as nossas vidas. Mas esse não é o seu objectivo. Estão lá para enriquecer uma pequena minoria à custa da extorsão e consequente empobrecimento da esmagadora maioria dos portugueses. É isso que, em 2014 (e nos anos seguintes), eles pretendem continuar a fazer. E, se ninguém lhes fizer frente, não duvidamos que o farão. Com perfeita consciência das malfeitorias que estão a cometer. Porque são nossos inimigos.

Sem comentários:

Publicar um comentário