quarta-feira, julho 11, 2012

Estado de catástrofe

Hoje à tarde, na AR, discute-se o Estado da Nação. De verdadeira catástrofe: economia em recessão, empresas falidas, famílias empobrecidas, mais de um milhão de desempregados, país mais endividado, buraco orçamental de dois mil milhões de euros; enqunto continua o regabofe das rendas das parcerias público-privadas, dos subsídios das fundações, das reformas douradas e salários milionários.
Se não acordarmos, se não resistirmos (seguindo o exemplo dos nossos irmãos e vizinhos), vem aí mais austeridade. Depois da função pública, o ajuste de contas será com os trabalhadores do sector privado e os utentes da educação e da saúde.
Podem ter a certeza.

Sem comentários:

Publicar um comentário