quarta-feira, fevereiro 20, 2013

Enquanto há força

Começou hoje a 7.ª "avaliação" da Troika e somos já confrontados com o trágico descalabro de apenas 50 dias de execução do orçamento de 2013: a recessão afinal será o dobro da que foi prevista, verifica-se já um desvio nas contas públicas de 1 600 milhões de euros e o desemprego atinge o máximo histórico de 1 milhão de pessoas (número 'oficial', já que na realidade, o número de desempregados ronda 1 milhão e 400 mil!).


Claro que não se trata de uma verdadeira avaliação mas de um simulacro de avaliação. O "professor" não irá chumbar o "aluno" e ambos farão tudo para que o país continue no caminho da austeridade a afundar-se numa espiral recessiva de destruição da economia e empobrecimento da população. Espiral recessiva para a qual Cavaco — é o Presidente da República, se por acaso já não se lembram do homem… — alertou e sobre a qual mantém agora o mais sepulcral dos silêncios!
Uma coisa é certa, se a Troika não vai chumbar o "governo", porque ele está a fazer o que a Troika quer, mais cedo do que alguns pensam, é o país que vai chumbá-lo e exigir outra política e um governo! Enquanto há força. 

Sem comentários:

Publicar um comentário