quinta-feira, abril 15, 2010

Grécia: a farsa da ajuda

Dizem eles que os governos europeus oferecem ajuda de € 30 mil milhões à Grécia. O que não esclarecem é que, por exigência de Berlim, os empréstimos serão concedidos à taxa de juro do mercado, actualmente nos 5%. Contudo, isto não faz qualquer sentido:  uma operação de salvamento justifica-se precisamente quando os mercados deixam de funcionar e se recusam a refinanciar uma economia a taxas sustentáveis. Assim, insistir em taxas de mercado equivale em inviabilizar qualquer salvamento da economia grega. As contradições deles são insanáveis.
Por seu lado, o Bundesbank está à beira de um ataque de nervos porque receia que a Grécia se marimbe para a ajuda dos governos europeus e recorra directamente ao FMI que deverá impor  condições menos gravosas do que a UE. Nesse caso, o FMI pediria dinheiro aos seus membros mais importantes em troca de Direitos Especiais de Saque (DES) por ele emitidos e, dessa forma, o Banco Central Alemão seria imediatamente convocado a entregar os recursos ao FMI a fim de este os conceder à Grécia.
Nao há dúvida, eles estão num molho de brócolos. Estejamos, pois, atentos aos próximos actos desta farsa, desde logo por ser ilustrativa do que pode vir a acontecer a outros países europeus, incluindo o nosso. fonte resistir.info

Sem comentários:

Publicar um comentário